MARTELO BATIDO hoje (10/07) para todos que usam cartão de crédito com finais de 0, 1, 2, 3, 4, 5, 6, 7, 8 e 9

A partir de 1º de julho, os brasileiros com dívidas no cartão de crédito rotativo podem transferir seu saldo devedor entre instituições financeiras sem custos adicionais. Essa medida, estabelecida pelo Conselho Monetário Nacional (CMN), busca facilitar melhores condições de pagamento aos consumidores.

Guia Definitivo para Fazer um Cartão de Crédito em um Banco Digital

Para realizar a portabilidade, o cliente deve obter informações sobre sua dívida na instituição financeira original e negociar uma nova operação de crédito com outra instituição que ofereça condições mais favoráveis. A seguir, explicaremos detalhadamente como esse processo funciona!

Passos para solicitar a portabilidade de crédito

  • Obtenção de Informações: O cliente deve solicitar detalhes sobre sua dívida na instituição original, como saldo devedor, parcelas restantes e taxas de juros.
  • Negociação com a Nova Instituição: Munido dessas informações, o cliente negocia uma nova linha de crédito com outra instituição.
  • Quitação da Dívida Original: Os fundos da nova operação são utilizados para liquidar o saldo devedor na instituição original. A transferência é feita diretamente entre as instituições, sem custos adicionais para o cliente.
  • Contraproposta da Instituição Original: A instituição original pode fazer uma contraproposta, garantindo pelo menos o mesmo prazo da nova operação para que o cliente possa comparar as condições.

Cuidados com a portabilidade de crédito

Ao considerar a portabilidade de crédito, é crucial compreender que tanto consumidores quanto instituições financeiras realizarão avaliações detalhadas.

De acordo com o educador financeiro Raul Sena, os bancos avaliarão o perfil de crédito do cliente antes de aprovar a portabilidade. Assim, se houver um alto risco de inadimplência, pode ser desafiador encontrar uma instituição que ofereça condições mais favoráveis.

Os bancos e financeiras vão continuar fazendo as contas também, do lado deles, para saber se aceitam o risco daquele cliente não pagar. Então, acredito que não seja tão fácil assim trocar de credor e conseguir reduzir os juros, se o risco de crédito da pessoa for alto demais

Ione Amorim, do Idec, enfatiza a importância de compreender os termos e os juros envolvidos na portabilidade, especialmente em situações de dívidas acumuladas com altas taxas de juros. Comparar propostas de maneira criteriosa é fundamental para evitar condições desfavoráveis.

Ela ilustra com o caso de alguém que tem um cartão de loja com uma taxa de juros anual de 700% e decide transferir o saldo para uma instituição que cobra 300% ao ano. Ione ressalta que as multas já aplicadas provavelmente não serão revistas.

Essa pessoa vai levar a dívida cheia da instituição? Falta clareza e transparência para o consumidor entender que está sendo assistido por uma política de juros que traga essa redução

Transparência nas faturas dos cartões de crédito

O CMN introduziu novas normas para aumentar a transparência nas faturas de cartão de crédito. Agora, as faturas devem incluir três seções distintas:

  1. Área de Destaque: Contendo informações essenciais como o valor total e a data de vencimento.
  2. Área de Opções de Pagamento: Detalhando o pagamento mínimo, encargos, modalidades de financiamento e taxas de juros disponíveis.
  3. Área de Informações Complementares: Incluindo lançamentos na conta, juros aplicados, tarifas e limites individuais.

William Tormen

Ao longo da minha trajetória profissional, me dediquei à especialização em conteúdo para Google News e Discover, acumulando mais de 18 anos de experiência nesse segmento. Na minha jornada, ascendi à posição de CEO de uma Agência Digital e me tornei sócio em outras agências,… Mais »